Mercado paralelo, vendedores revoltados, apelo ao governo: entenda a crise das figurinhas da Copa do Mundo na Argentina

Lia Xan
Lia Xan 3 Min Read
3 Min Read

Na Argentina, a falta de figurinhas da Copa do Mundo do Catar virou assunto de governo na última terça-feira (20), quando a União de Kiosqueros (Ukra), diretores da Panini, empresa responsável pelo produto, e a Secretaria de Comércio se reuniram para discutir o problema.

Segundo os donos das bancas, desde que as vendas começaram em agosto, as figurinhas do álbum da Copa estão em falta. Por isso, quando os estoques são reabastecidos, o produto some das prateleiras em questão de minutos.

Os representantes dos quiosques também atribuem o problema à uma mudança na política da fabricante do produto. De acordo com eles, novos pontos de venda, como postos de serviço, aplicativos de entrega, grandes empresas e supermercados, estão sendo priorizados em relação às bancas, que sempre comercializaram o produto.

Além disso, a Ukra afirma que alguns distribuidores têm colocado pacotes à venda na internet a preços até 33% maiores — e o negócio está fazendo sucesso. Como resultado, surgiu um mercado paralelo de figurinhas no qual alguns fornecedores avisam seus compradores da chegada de mais envelopes via WhatsApp.

“Faltam figurinhas e álbuns em todo o país. A entrega média é de 25 ou 50 pacotes por semana, e 20 ou 30 álbuns por semana. Isso não é suficiente para nenhum vizinho em qualquer localidade. E o que estamos pedindo para a Panini é entregar a mercadoria aos distribuidores oficiais e que esses distribuidores a vendam nas bancas e que não o façam como antes, no mercado paralelo”, disse Adrián Palacios, vice-presidente da Ukra, ao jornal “Clarín”. “Convocamos esta reunião na Secretaria para que os quiosques sejam os que possam comercializar este produto. Como sempre fizemos.”

Anteriormente, entretanto, o gerente de marketing da empresa, Nicolás Salustro, disse à “Forbes” que “as figurinhas não estão esgotadas” e garantiu, contrariando as evidências, que os envelopes são encontrados em qualquer quiosque.

Ainda assim, ao fim da reunião, que durou cerca de uma hora e meia, a empresa concordou em controlar os distribuidores oficiais para garantir que as figurinhas cheguem às bancas assim que estiverem disponíveis.

No início da reunião, a Secretaria de Comércio da Argentina compartilhou uma foto do encontro no Twitter, com a legenda: “Começou o encontro para avaliar a situação do mercado de figurinhas da Copa do Mundo. A partir do @ComercioArg abrimos um canal de diálogo entre @ukraok e @PaniniArg, disponibilizando nossas equipes jurídica e técnica para colaborar na busca de possíveis soluções”.

Share This Article
Leave a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

fapjunk
Reading: Mercado paralelo, vendedores revoltados, apelo ao governo: entenda a crise das figurinhas da Copa do Mundo na Argentina

© 2024 Globo Brasil- [email protected]